Avaliação Heurística – o que é e como funciona?

A

A importância dos testes de softwares.

Todo bom software antes de passar para a fase de lançamento oficial, passa por uma fase de testes. Estes podem ser de vários tipos, neste artigo o maior enfoque estará virado para os testes baseados na critica – Avaliação Heurística. Na maioria dos casos, realizam-se testes para assegurar que todos os requisitos necessários para o pleno funcionamento de um software encontram-se em condições adequadas para que o utilizador final possa desfrutar dos serviços proporcionados pelo mesmo sem complicações.

Fora a Avaliação Heurística, existem outras formas de fazer testes em softwares. Estes podem ser por via de testes empíricos, testes formais ou testes automatizados.

Testes Empíricos – estes são feitos com utilizadores reais, que testam o software e dão feedbacks baseados nas suas experiências e observações. Os testes empíricos são na base na tentativa e do erro, cada utilizador compreende o software a sua maneira.

Testes Formais – neste tipo de testes, são construídos modelos e fórmulas para calcular/medir a reposta ou comportamento do utilizador. Dependendo do ambiente em que este é colocado.

Testes Automatizados – no modelo de testes automatizados, são construídos ou utilizados outros softwares para testes dos softwares em desenvolvimento. Este modelo é facilmente aplicado em projectos de pequena envergadura e de difícil implantação para projectos de grande envergadura.

Nos testes acima citados, só em 2 ( testes empíricos e formais) é que precisamos de utilizadores reais. Embora o processo de implementação seja diferente. Enquanto que no teste empírico o processo é mais livre e a mais recolha de dados qualitativos nos testes formais acontece o inverso. O ambiente é mais controlado e respostas estão sempre dentro de um parâmetro. O testes automatizados por sua vez, vem de certa forma complementar a componente humana, dando mais respostas quantitativas, trazendo sempre,  respostas relacionadas a performance a outras componentes técnicas do software.

Avaliação Heurística

Ainda no mesmo espectro de testes, encontramos outro tipo de testes que de certa forma é apoiado pelos utilizadores, mas mais especializados, são estes chamados testes baseados na crítica ou avaliação heurística, como o título do artigo sugere. Os testes baseados na crítica são normalmente feitos por experts na área. Nestes, pode-se ter/conseguir feedbacks de alto valor.

 

Avaliação Heurística é um método de teste/avaliação de interfaces de softwares baseado em princípios de usabilidade.

Os princípios são chamados de heurísticas pois são desenvolvidos a partir de uma série de experiências prévias, sintetizando pontos recorrentes. Este termo foi cunhado inicialmente por Jakob Nielsen e Rolf Molich em 1990. Por ser o elo entre o homem e o computador, as interfaces dos softwares, pautadas nas heurísticas, é necessário considerar os elementos relacionados à sua adequada estruturação: Arquitetura da Informação, Arquitetura de Design, Navegabilidade, Conteúdo e Interatividade, que relacionados entre si, definem a usabilidade de um de uma interface.

No processo de avaliação a interface é submetida para diferentes avaliadores. Estes darão seu parecer baseando-se em 10 princípios, as chamadas heurísticas (este tópico será tema principal do próximo artigo). Umas das maiores vantagens do feedbacks baseado na crítica é proporcionar a possibilidade deste ser feito em qualquer fase do projecto, sendo que poupa os utilizadores, para testes de outra natureza em fases mais avançadas, onde o feedback baseado no uso do software dentro de um contexto é indispensável.

Na avaliação heurística é importante dar destaque ao perfil do avaliador, o expert. Para que o teste tenha efectivo valor este tem de ser um profissional com experiência. Se este for da área de Engenharia de Software ou Design será melhor. Mas com mais enfoque em análise de interfaces interactivas em aspectos concernentes a usabilidade.

Como já havia prometido acima, no próximo artigo irei abordar a avaliação heurísticas e os princípios de usabilidade com mais profundidade. Bem, por hoje é tudo. Até a próxima!

 

Referências

  1. Why and How, Coursera
  2. Avaliação Heurística, Corais
  3. O que é e como fazer uma Avaliação Heurística, Design Interativo
  4. Avaliação Heurística na análise de interfaces, UX Design

1 comentário

Por guidione

Sobre mim

O meu nome é Guidione Machava e guidi.one é o meu blog pessoal. O meu canto na web, onde partilho ideias, conceitos e sugestões de princípios usabilidade em projectos centrados no utilizador (user).

Partilho também notas das aulas online e presenciais que tenho frequentado que acredito que agregam valor a qualquer profissional na área de UX Design.

Queres saber mais sobre mim? Segue-me nas redes sociais.